Como manter a saúde mental em tempos de quarentena?

Não é novidade para ninguém que o distanciamento social, o isolamento e a quarentena podem ser bem difíceis para algumas pessoas após algum tempo. Afinal, temos de abrir mão de vários elementos com os quais estamos acostumados, a fim de protegermos nossa saúde.

Bom, o problema é que o afastamento das tarefas diárias e das pessoas em si pode fazer com que você se sinta extremamente solitário, mesmo que não se dê conta disso. Noites de sono difícil, crises de ansiedade e até mesmo depressão são consequências possíveis. Como evitar tudo isso e manter a saúde mental em dia?

Primeiramente, temos de nos atualizar com relação a alguns termos:

  • Distanciamento Social – significa que precisamos nos manter em nossas casas para achatar a curva de contágio.
  • Isolamento Social – quando você é um caso suspeito de COVID-19, a doença causada pelo Coronavírus, e deve se manter isolado.
  • Quarentena – para casos confirmados.

No dia a dia, é normal que nos esqueçamos da realidade por trás do período que estamos passando e usemos os termos mais comuns. Muitos pensam estar em isolamento ou quarentena quando, na verdade, trata-se do distanciamento social.

Cuidando da Saúde Mental em casa

O primeiro passo para reduzir o aumento crescente da sua ansiedade é diminuir o pânico. A insegurança é inevitável, afinal, estamos lidando com uma pandemia. Mas, com um pouco de trabalho, podemos mitigá-la.

Para isso…

Evite o Bombardeio de Informações

Atualize-se uma vez ao dia. É o suficiente para que você compreenda a situação local e global. Não é preciso acompanhar as notícias o dia todo e acabar sendo bombardeado com notícias ruins, crimes, mortes e afins. Isso tudo faz bastante mal para sua saúde mental.

É claro, não podemos deixar de pensar na realidade e viver em um mundo de fantasia, utópico e pacífico. Não se trata disso! É apenas uma questão de não absorver informações demais sobre um determinado assunto. O suficiente basta.

Crie uma nova rotina

Você está em casa. A vida que você tinha mudou completamente. É preciso criar uma nova rotina.

Depender da aleatoriedade dos dias e eventos que podem acontecer enquanto você está em casa pode ser perigoso.

Tem um quintal grande? Considere caminhar pela manhã. Possui espaço em casa? Exercite-se, alongue-se, tome sol pela janela. Assista algo pela manhã, tome seu café e, se você estiver trabalhando de casa, comece o trabalho com energia.

Determine seus horários e siga sua vida como se a estivesse vivendo normalmente. Mudanças bruscas podem ser assustadoras, mas rotinas ajudam a contornar isso.

A tecnologia pode ajudar

Use a tecnologia para se aproximar de amigos, familiares e pessoas que você ama. Faça vídeo-chamadas, ligações, envie mensagens. Esteja próximo de quem importa, mesmo estando distante.

Encontre passatempos

Essa é a hora de desenvolver hobbies e passatempos. Dessa forma, você pode se aprimorar em algo que gosta e preencher os espaços vazios dos seus dias.

Faça terapia online

Fale com o seu psicólogo pelo WhatsApp, verifique se existe a possibilidade de receber atendimento online e não deixe a saúde mental de lado. Afinal, sem uma mente forte, o corpo acaba sofrendo as consequências, e isso é algo que deve ser evitado a todo custo nesse momento.

Lembre-se de encarar as coisas com o máximo possível de positividade. É um momento delicado, mas, juntos podemos encontrar formas de aprender lições valiosas e nos tornarmos melhores uns com os outros durante e após o fim da crise.

Compartilhe!

Outros artigos que podem te interessar

Obesidade Infantil: Causas, Consequências e Prevenção

A obesidade infantil é um problema crescente no Brasil e tem se tornado uma preocupação cada vez maior para pais, educadores e profissionais de saúde. De acordo com a Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso), cerca de uma em cada três crianças brasileiras está acima do peso. Esse aumento

Autoestima e Obesidade - Patrícia Spada Psicóloga na Vila Olímpia São Paulo

Construindo Autoestima: Estratégias para Melhorar a Imagem Corporal em Pacientes com Obesidade

Autoestima Blindada, Corpo em Harmonia: Superando a Obesidade e Construindo uma Imagem Positiva A relação complexa e multifacetada entre autoestima e obesidade impacta profundamente a saúde mental e física. De um lado, o excesso de peso pode gerar estigma social, discriminação e baixa autoestima, criando um ciclo prejudicial. Do outro, cultivar uma autoimagem positiva, mesmo

ansiedade e obesidade

Ansiedade e Obesidade: Desvendando a Conexão

Desvendando a Conexão entre Ansiedade, Estresse e Obesidade: Como Esses Três Elementos se Interligam A ansiedade e a obesidade são problemas de saúde prevalentes, e sua relação é um campo de estudo relevante. Neste artigo, exploraremos essa interconexão e seu impacto na saúde mental e física. Ansiedade: O Impacto Silencioso na Saúde Mental e Física

Assine nossa Newsletter

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?